A psicologia e a fé

Conheça a disciplina Psicologia geral e religião

Nesta disciplina traremos um estudo, à luz da Psicologia, do fenômeno religioso e algumas posturas religiosas, como a espiritualidade, o desenvolvimento religioso e a fé. Também, vamos discutir aspectos do comportamento humano, destacando o comportamento religioso. Perceber as relações que existem entre processos psicológicos, religião e espiritualidade humana. E, possibilitar o dialogo saudável entre o comportamento religioso e a racionalidade humana, partindo do pressuposto de que o religioso é uma das expressões da racionalidade humana.

O ser humano com seus problemas existenciais, mentais, comportamentais e de relacionamentos pode resolvê-los utilizando-se tanto da psicologia, como também através de um aconselhamento bíblico. O que deve estar em destaque é: a origem do problema.

Como a psicologia relaciona-se com a religião? A experiência religiosa dos indivíduos na sua prática: oração, cânticos, crenças e reuniões; é tanto individual como coletiva, partilhada. Esta experiência está totalmente relacionada com a Psicologia Histórico Cultural, como, a vida comunitária e os aspectos sócio-culturais da religiosidade. Pode-se concluir que entre a Psicologia e Religião, o lugar da espiritualidade é visto nos processos psicológicos: criação de sentido, sofrimento, empoderamento e enfrentamento do luto.

“Toda religião que se enraíza na história de um povo é uma manifestação de sua psicologia”, palavras de JUNG (1978).

Bibliografia para estudo:

ALVES, Rubem. Religião e repressão. São Paulo: Teológica/Loyola, 2005.
AMATUZZI, Mauro Martins. Fé e Ideologia na Compreensão Psicológica da Pessoa. In: Psicologia: Reflexão e Crítica, 2003.
ARAÚJO FILHO, Caio Fábio de. No divã com Deus: uma análise pscoteológica dos salmos. Rio de Janeiro: Vinde Comunicação, 1993.
ASSIS, Cleber Lizardo de. A Clínica e o sagrado: Pesquisa e reflexões contemporâneas em psicanálise e teologia cristã. Curitiba, PR: Editora CRV, 2011.
BOBGAN, Martin. Aconselhamento: integrando a psicoterapia e a bíblia? / Martin Bobgan, Deidre Bobgan, T. A. MacMahon. Porto Alegre: Actual Edições, 2005.
DREWERMANN, Eugen. Religião para quê?: buscando sentido numa época de ganância e sede de poder. São Leopoldo: Sinodal, 2004.
ELIADE, Mircea. Tratado de história das religiões. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2008.
EMERICH, Alcione. Físico, psicológico ou espiritual: qual a origem do seu problema? Rio de Janeiro: Danprewan, 2004.
FRAAS, Hans- Jürgen. A religiosidade humana: compêndio de psicologia da religião. São Leopoldo: Sinodal, 1997.
JUNG, C. G. Psicologia e Religião. Obras completas de C. G. Jung, v. 11/1. Vozes, Petrópolis, 1978.
LOCATELLI, Joana, AMARANTE, Karine M. Ribeiro do. Psicologia da religião: Relações existentes entre aconselhamento psicológico e aconselhamento pastoral. Trabalho de conclusão de curso, FURB, Blumenau, 2006.
OTTO, Rudolf. O sagrado: os aspectos irracionais na noção do divino e sua relação com o racional. São Leopoldo: Sinodal/EST; Petrópolis: Vozes, 2007.
WONDRACEK, Karin Hellen Kepler. O amor e seus destinos: Um estudo de Oskar Pfister como contribuição ao diálogo entre matapsicologia e teologia cristã. São Leopoldo: Sinodal, 2005.
ZANNELA, A. V. Sujeito e alteridade: reflexões a partir da psicologia histórico-cultural. Psicologia e Sociedade. V.17 N.2 Porto Alegre Maio/Agosto. 2005. Disponível em http://dx.doi.org/10.1590/S0102-71822005000200013. Acesso em 07 novembro 2015.

 

______________________
É proibido copiar os artigos desta revista. A publicação dos artigos aqui postados em trabalhos acadêmicos, ou  trabalhos científicos devem seguir a regra da ABNT. Copiar deliberadamente na íntegra qualquer conteúdo desta revista, implica em crime, previsto no Código Penal. Lei do direito autoral. Todos os direitos reservados a Revista Vox Teológica, de Florianópolis, SC, Brasil.